A emocionante lenda do Alecrim


Existe uma graciosa lenda a respeito do alecrim: Quando Maria fugiu para o Egito, levando no colo o menino Jesus, as flores do caminho iam se abrindo à medida que a sagrada família passava por elas.

O lilás ergueu seus galhos orgulhosos e emplumados, o lírio abriu seu cálice.

O alecrim, sem pétalas nem beleza, entristeceu lamentando não poder agradar o menino.

Cansada, Maria parou à beira do rio e, enquanto a criança dormia, lavou suas roupinhas.

Em seguida, olhou a seu redor, procurando um lugar para estendê-las. “O lírio quebrará sob o peso, e o lilás é alto demais”.

Colocou-as então sobre o alecrim e ele suspirou de alegria, agradeceu de coração a nova oportunidade e as sustentou ao sol durante toda a manhã.

“Obrigada, gentil alecrim” – disse Maria.

“Daqui por diante ostentarás flores azuis para recordarem o manto azul que estou usando. E não apenas flores te dou em agradecimento, mas todos os galhos que sustentaram as roupas do pequeno Jesus serão aromáticos.

Eu abençôo folha, caule e flor, que a partir deste instante terão aroma de santidade e emanarão alegria.”

E assim foi.

Diz-se que o alecrim é um “Costurador do Plexo Solar”, ele restitui rapidamente a energia perdida, dá mais estrutura de trabalho aos que lidam muito com o mental racional, é uma das ervas que ajuda na depressão e estados permanentes de cansaço por problemas emocionais. É a erva da coragem. Favorece e fortifica o ânimo e vitalidade das pessoas. Agindo em conjunto com arruda, “segura” as energias de inveja, mau-olhado e fofocas.

O alecrim apresenta todos as cores do espectro solar. Observou-se em seu campo magnético, uma riqueza de cores onde o verde e o rosa se destacam (cores do chacra cardíaco). E quando apresenta flores as cores ficam incandescentes. Que estas benção ancorem em sua vida!!!!