Aranha mostra quem tece a realidade: somos nós!


A união entre o passado, o presente e o futuro.

Este é um dos presentes para àqueles que pertencem ao totem da Aranha, que inclui a criatividade a tecer o equilíbrio de nosso destino entre o passado e o futuro, o físico e espírito, o masculino e o feminino. Por isso a Aranha traz a força e a delicadeza numa combinação perfeita.

Essa é a energia primal é concedida aos seus eleitos e desperta neles a sensibilidade criativa, pois ela é o “Guardião Espiritual” do alfabeto primevo que ensina a nós e aos seus apadrinhados como escrever de forma criativa.

Observe que os corpos dos Aracnídeos são compostos na forma do número 8, Aranhas possuem oito pernas e isso simboliza as inúmeras e infinitas possibilidades de criação. Essas oito pernas representam os 4 Ventos primordias da mudança, as 4 direções dos pontos cardeais integrados nos dóis pólos da Roda e do Ciclo da Vida na medicina primal.

Há muitas histórias sobre a Avó Aranha, a tecelã. Conta a lenda que ela carregava em suas costas o dom do fogo e do conhecimento em uma cesta tecida por ela mesma. Posteriormente, ela apresentou-o aos homens os quais tiveram medo de recebê-lo.

Outro mito nos diz que seu poder está ligado a todos os elementos que juntos alicerçaram a construção da Terra. Essas lendas, arquetipicamente, apontam para um Animal de Poderque liga o passado e o futuro, o nascimento e a criação.

Quando a Aranha entra em nossa consciência, ela nos alerta que é chegada a hora de reconstruirmos a teia da nossa vida, de acordo com o projeto que o Criador nos concedeu. Ou seja, devemos descobrir qual é a nossa verdadeira vocação e seguí-la.

Isso porque, uma Aranha tece sua própria teia e da mesma forma nós mesmos tecemos as nossas realidades.

Esse totem nos lembra que somos nós quem criamos muitas das situações em nossas vidas, sejam elas positivas ou não. A exemplo das Aranhas que têm a capacidade extraordinária de criar, tecer e fiar suas próprias teias, com esta habilidade ela nos mostra e quer ensinar o dom de criarmos nossa realidade.

Portanto, somos nós quem detemos o poder de criar o que acontece em nossas vidas, tanto para nós quanto para os outros.

Esse “Guia Espiritual” deseja que percebamos isso, pois é por meio das escolhas que fazemos e de nossas atitudes que selamos nossos destinos. Nessas duas ações, escolher e agir é que residem o maior poder do qual dispomos.

Quando a Aranha chama um indivíduo para sua teia, isto é, quando elege um protegido, então é necessário que essa pessoa perceba com qual poder, seja de expansão ou contração, está tecendo os fios da sua vida.

Se com fios de amor, desprezo, ciúmes, inveja, arrogância, soberba ou humildade e benevolência? Eis algumas perguntas a se fazer para quem possui esse primal: – Estou contente comigo? As coisas estão indo bem em minha vida? Se as coisas estão bem em vários setores, então parabéns! O poder desse primal está atuando na sua vida.

Ao refletirmos sobre nossas atitudes e nossas escolhas isso nos dá a clara noção de onde e do por quê estamos onde nos encontramos. Se o indivíduo cria situações positivas, então deve agradecer ao seu totem e continuar nessa trilha.

Entretanto, se a pessoa está em um baixo astral, muitos são os acontecimentos negativos e existe o real desejo em querer melhorar essa situação, então ela deve repensar em como suas atitudes e escolhas têm refletido na criação da atual situação em que se encontra.

Como o tecelões de nossa vida, nós somos os criadores de nossa própria realidade.

Uma vez que essa responsabilidade é assumida pelo indivíduo, quando ele deixa de responsabilizar os outros e o mundo por se encontrar onde está, então, será a partir disso que sua situação começa a se transformar para melhor.

Essa consciência de que temos o poder de construir nossa própria vida significa que qualquer pessoa pode fazer da sua existência algo mais positivo e feliz.

Essa é a maior lição deste Animal de Poder, o qual recomenda não só aos seus eleitos mas a todos nós, a praticarmos uma atitude positiva perante todos e quaisquer acontecimentos. Esse é um dos caminhos para a sabedoria e ao escolhermos as boas atitudes, veremos manifesto na realidade e na nossa vida, o que de fato desejamos viver.

Quando as pessoas limpam a casa, costumam se livrar das teias de uma Aranha por pensarem que elas representam sujeira ou coisas velhas. Puro preconceito e crença moderna, pois desde os tempos imemoriais teias de Aranhas vivas representam o ato da construção da vida.

A criança que testemunhar um pequeno Aracnídeo tecer sua teia poderá ficar hipnotizada pela frágil, porém mágica rede de tecelagem natural que simboliza o movimento universal cósmico.

É claro que para muitos isso parecerá bobagem contudo, aos olhos de um observador atento é possível ver tal fenômeno de várias maneiras e muitos ângulos diferentes. Isso faz parte da magia desse Animal de Poder. Afinal, ele é o mestre artesão cujos fios tecem, envolvem e unem partes separadas do tecido vital num padrão integrado.

Eis um lembrete importante: o de que estamos constantemente tecendo o tecido de nossas vidas.

A construção de uma rede está ligada à geometria da criação e, ao fazê-la, a Aranha lança um fio de seda pegajoso contra o Vento.

Se a brisa leva o fio a um ponto onde ele adere, a primeira ponte é formada.

Então, a Aranha cuidadosamente cruza outra linha para reforçá-lo com um segundo fio e este processo continua até que uma estrutura sólida seja feita, em que nessa rede ela possa estar segura do emaranhado de ruídos e coisas externas.

Simbolicamente, isso nos faz lembrar da nossa interconexão com toda a vida e com tudo que acontece.

Porém, ao contrário da Aranha, nem sempre somos capazes de ter essa percepção e a consciência de que criamos nossas realidades e caminhamos através e por meio dessas nossas criações.

Infelizmente, muitas vezes, não temos a capacidade de uma Aranha em ver nossas vidas como um todo.

Valter Barros Moura

Por essa razão é que nos encontramos quase que permanentemente em conflito com algo ou em algum setor de nossas vidas, por não termos a certeza, clareza e tampouco a percepção de como integrar nossos desejos e caminhos que parecem oporem-se uns aos outros.

Portanto, quando a Aranha entra na vida de alguém, ela quer ensinar-lhe algumas coisas, dentre as quais como e do quê o indivíduo precisa para sintonizar-se com essa energia tecelã?

A resposta tem início quando o indivíduo percebe que as paredes internas de suas emoções parecem separar muitos dos aspectos da vida, mas essas paredes não são tão sólidas como parecem. Ser capaz de enxergar as coisas de formas e maneiras diferentes fará com que muitas barreiras desapareçam e, com isso, o indivíduo aprenderá que a vida pode ser vista de uma forma mais integrada e harmoniosa.

A Aranha quer também que o indivíduo perceba que os fios que tecem o tecido da vida não precisam ser fontes de emaranhamento e sim, de uma rede de estradas para viajarmos e aprendermos com a jornada de nossa existência nesse plano.

Esse primal auxilia a nos integrarmos mais profundamente através da sua ligação com o espiral, o símbolo básico da energia universal.

A figura de número oito se relaciona fisicamente com forma da Aranha, ou seja, é o símbolo de infinito.

Isso nos dá a idéia de que esse totem representa todo o cuidado e a consideração que devemos ter ao sabermos que todos nós estamos interconectados nessa vida. E que não há passado nem futuro que nos separa, apenas o agora, que é infinito.

Esse totem desperta o nosso mais intuitivo sentido criativo e nos encoraja a projetar o tecido de nossas vidas e de nossas almas à intenção original. Se um indivíduo se deparar com uma Aranha em sua teia, isso sugere que deve prestar muita atenção ao criar algo novo, pois este é um símbolo que o obriga a lembrar onde ele está na tecelagem do seu próprio destino.

Saiba que as Aranhas são realmente muito delicadas e que representam a energia da gentileza e isso é repassado aos seus eleitos, que geralmente não são agressivos, a menos que necessitem defender suas vidas ou suas idéias.

Avançar em qualquer que seja a situação, com uma força suave é uma das habilidades que muitas vezes precisa ser aprendida por aqueles que possuem este Animal de Poder.

A mensagem que a Aranha traz àqueles que ela protege é a de que se deve lembrar que somos infinitos, que vamos continuar a tecer os padrões de vida e viver ao longo do tempo. Isso quer dizer que devemos nos lembrar, permanentemente, de que há um plano eterno da criação para todos.