É um erro confundir ‘esquecer’ com perdoar


“Para perdoar é preciso lembrar, pensar, lidar com a questão. Tentar esquecer não ajuda em nada no processo de perceber a situação de outra maneira”
Para muitos, perdoar é uma tarefa muito árdua. Tanto perdoar os outros, quanto a si mesmo.

Quando toco nesse tema em meus atendimentos, questiono para o paciente o que significa para ele perdoar… e é comum ouvir: “esquecer o que aconteceu”.
Bem, vamos refletir sobre o assunto com objetivo de ampliar a consciência e, quem sabe, auxiliar no processo de perdão.

Perdão é a capacidade de você lembrar-se de uma ofensa, sem com isso afetar o relacionamento. É olhar para o que aconteceu e não ter sentimentos negativos com relação à pessoa envolvida.

Uma forma de se perdoar é se desculpar. Desculpar, quer dizer retirar a culpa, absolvendo assim o envolvido e desse modo não depositando mais emoções negativas sobre ele.

Desse modo, perdoar nada tem a ver com esquecer. Para perdoar é preciso lembrar, pensar, lidar com a questão. Tentar esquecer não ajuda em nada no processo de perceber a situação de outra maneira, para poder mudar o que se sente. Esquecer é justamente buscar ocultar a situação, não olhando mais para ela e tentando desse modo não sentir mais as emoções negativas.

Não é possível esquecer o que se passou simplesmente como resultado de um desejo. Não temos esse poder de esquecer as coisas quando queremos.

Quando esquecemos algo é: por não ter importância, por já ter sido superado ou por ter sido algo muito traumático e nossa mente faz isso como mecanismo de defesa.

No entanto, nesses casos não é incomum que haja sintomas provenientes dessa questão que se tornou inconsciente, unicamente porque ela não foi tratada ou resolvida, de modo que continua a incomodar mesmo sem o indivíduo lembrar-se dela.

Forgive X forget

Existe um trocadilho na língua inglesa que pode nos ajudar a analisar e compreender melhor o significado do perdão. Perdão em inglês é forgive, enquanto que esquecer é forget.

Ao quebrar a palavra forgive temos for give, que significa (para dar), o que nos permite pensar que o perdão é algo que temos a possibilidade de dar, é feito para isso. É um ato para fora, gera movimento. Você dá ao outro a responsabilidade pela situação e fica livre dos sentimentos negativos.

Já ao quebrar forget temos for get, que significa (para receber). Isso não nos dá autonomia para darmos nada, apenas recebermos. Recebermos o quê? As consequências disso que tanto buscamos esquecer. Ficamos inertes, passivos, porque se pega para si a responsabilidade de lidar com a situação, guardando o conteúdo (na tentativa de esquecer) e desse modo as emoções negativas permanecem.

Thaís Petroff