Especiais e a Espiritualidade

deficiente

Pessoas especiais, com síndrome de down ou algum retardo mental são chamadas de especiais pelo mundo dos homens, e assim são chamadas pela espiritualidade também.

Vamos entender melhor, do ponto de vista espiritual, todos os aspectos ligados às pessoas especiais.

Um ser reencarna com alguma deficiência pois esta é uma atuação da Lei. Precisamos compreender a Lei do Carma atuando junto com o Sistema Reencarnatório.

Geralmente, a lei atuou paralisando a parte do mental do ser correspondente a ativação de ações/sentimentos viciados que o tornaram desequilibrado e foram responsáveis pela sua “queda”.

O nosso corpo carnal é compatível com o nosso corpo espiritual, portanto, os especiais não vieram com um invólucro carnal deficiente, ruim.

O corpo deles é extremamente perfeito para com o seu espírito.

A encarnação é um presente abençoado do nosso Pai Criador, pois o estágio na carne acelera a nossa evolução. E se acelera a nossa evolução, assim o faz com a nossa recuperação espiritual.

O ser especial tem a oportunidade de recuperar o seu corpo espiritual, pois entra em contato com energias mais densas, que se encontram nesta faixa de existência humana.

As energias sutis de outros planos espirituais geralmente não conseguem penetrar profundamente um mental negativado para sua efetiva recuperação, mas as energias que permeiam a faixa humana são mais densas, portanto mais eficazes na recuperação deste mental.

É importante saber, que os seres especiais são uma espécie de pára-raios, assim como nossos animais. Geralmente retém energias negativas que foram direcionadas para nós ou para a nossa casa porque seus corpos espirituais ainda estão em recuperação, portanto estão vulneráveis a absorção deste tipo de energia.

Como tudo tem o seu lado bom, pois o nosso Pai Maior não nos dá nada de ruim, apenas permite que desfrutemos das consequências de nossos atos, este contato frequente com energias negativas “desentopem” canais e chacras importantíssimos no corpo espiritual do especial, sendo outro fator que auxilia em sua recuperação.

Mas, como se trata de energias negativas, o corpo espiritual do especial deve ser constantemente limpado através de magias, passes espirituais, banhos de ervas.

Não leve o especial só ao médico, leve-o a Terreiros de Umbanda, Candomblé, Centros espíritas, Terapeutas Xamânicos, enfim, qualquer um que possa realizar uma limpeza eficaz no lado espiritual desta pessoa. Uma advertência que o plano espiritual sempre faz:

É um exagero achar que cuidar da saúde somente espiritualmente é a solução. Quando se trata de encarnados, o espiritual e o material andam de mãos dadas e ponto final.

Existem certos problemas que resolvem somente pelo lado espiritual, mas também existe o contrário. Os nosso problemas de saúde têm origem espiritual, e conforme vão progredindo por nosso todo espiritual chegam a atingir o nosso corpo carnal. Quando estão muito instalados em nosso corpo carnal, existe a necessidade de uma ação efetiva da medicina, e o problema pode ser trabalhado pelo lado espiritual, para que não haja reincidência.

Outro aspecto relativo aos especiais: são extremamente sensitivos. A maioria deles é um canal direto de contato com o plano espiritual. Em alguns casos eles não se comunicam conosco, mas estão constantemente em contato com o mundo espiritual. Quando eles apresentam um comportamento agressivo, é porque estão incomodados com algumas energias ou espíritos desequilibrados que estão incomodando. Quando sorriem do nada, é porque receberam o conforto dos Guias Espirituais que o amparam.

Portanto, compreenda o especial em todas as suas atitudes, sejam de ímpeto agressivo ou de alegria. Eles não são malucos, estão em contato com um universo que para nós é limitado. Nós os achamos diferentes, pois eles vivem mais lá do que cá. E nós vivemos mais cá do que lá.

Durante a noite, os especiais que apresentam uma boa evolução de recuperação são conscientizados de sua condição pelos Guias Espirituais, e aprendem tanto quanto nós.

Muitos têm consciência de que são portadores de deficiência e não se sentem mal por isso, e sim compreendem o seu corpo físico e suas limitações com bastante aceitação.

Não devemos ter pena dos especiais, pois ter pena é o mesmo que desejar a eles o que não é necessário no momento (Ex.: um corpo melhor). Podemos e devemos ter compaixão.

Ajudar, tanto lado pelo lado material quando pelo espiritual. Assim o especial terá todos os recursos necessários para que faça uma boa evolução e recuperação: é ajudado por quem pertence ao lado espiritual e compreende o material, e também por quem é do lado material e compreende o espiritual.

Mensagem recebida pela médium Carla Guedes.
Ditado por S.G.E.P.V.J.