Mágoas

mim

“Certo dia o filho pequeno chega em casa depois da aula e fala para o pai: quero que meu amigo adoeça muito e morra, porque hoje ele me humilhou na frente da turma e assim , se ele morrer, nunca mais vai aparecer por lá.

O pai deixou o filho desabafar e expressar todo o seu aborrecimento-tristeza-raiva e mágoa e depois falou: para te aliviar, vou te dar um exercício ali no jardim.

Venha comigo.

O menino acompanhou o pai até o jardim e falou para ele: Estás vendo aquela camiseta branca no varal? pois bem, aqui temos um saco de carvão .

Quero que atires todos os pedaços tentando acertar na camiseta, pedaço por pedaço.

Quando terminares, me chame.

O menino começou a atirar o carvão na camiseta e quando terminou, chamou o pai.

Quando o ele se aproximou, perguntou para o filho:

Como te sentes?

O menino respondeu: aliviado, mas a camiseta está toda marcada com manchas do carvão.

O pai pegou um espelho e pediu para o menino se olhar.

Quando ele se viu no espelho, não quis acreditar.
Estava todo preto da fuligem do carvão.”

MORAL DA HISTÓRIA
É isto que a mágoa faz com a gente; nós pensamos que nós aliviamos jogando a culpa nos outros, mas na verdade é em nós que fica toda esta energia escura.