Mediunidade – 12/11/11


Mediunidade é o meio de comunicação entre os encarnados e os desencarnados. É através dela que recebemos as orientações e palavras de conforto dos espíritos superiores e podemos praticar a caridade ao próximo. Embora em diferentes graus, todos nós possuímos mediunidade, e, portanto todos nós podemos ser médiuns. Pela mediunidade os espíritos esclarecidos executam muitas tarefas na Terra, porque eles só podem agir sobre a matéria, através de um instrumento material – “o médium”.
Não devemos pensar que a mediunidade nos foi concedida para simples passatempo, ou para satisfação dos nossos caprichos. Em nenhuma ocasião façamos dela o nosso ganha pão, e infeliz daquele que a utiliza visando seus interesses terrenos.
A mediunidade é a maneira mais simples de praticarmos a verdadeira caridade: a caridade espiritual. Cooperando com os espíritos curadores, ajudamos para o alivio dos que sofrem e como instrumento dos espíritos educadores, contribuímos para o adiantamento moral e espiritual nosso e de nossos irmãos.
Ao desenvolvemos nossa mediunidade, lembremo-nos que ela nos foi dada como auxilio para mais facilmente nos encaminharmos na evolução espiritual, liquidando através dela, pesados débitos que contraímos em encarnações passadas.

DESENVOLVIMENTO MEDIUNICO
Quando chega a hora de iniciarmos nosso desenvolvimento mediúnico, do nosso corpo começa a desprender-se uma irradiação fluídico-nervosa, que possui certo brilho, de maneira que ficamos envolvidos por uma espécie de luz espiritual. Os espíritos sofredores buscando o alivio, são irresistivelmente atraídos pela luz, e uma vez agarrados a nós, não nos largam ate que lhes seja indicada uma maneira de conseguirem um alivio. Com isto, acabam por perturbar mental e materialmente o médium não desenvolvido. Então, só o desenvolvimento mediúnico irá nos ajudar, pois através dele aprendemos a nos isolar dessas atrações negativas. Desenvolver a mediunidade é aprender a usá-la, e para que sejamos bem sucedidos, temos que cultivar a paciência, a perseverança, a boa vontade, a humildade e a sinceridade.
A mediunidade não se desenvolve de um dia para o outro, e pelos diferentes graus dela, uns podem demorar semanas, outros, meses, e outros demoram até anos para completar seu desenvolvimento. Por isso devemos ter PACIENCIA.
Não façamos conta do tempo, pois nosso único interesse deve ser desenvolver bem nossa mediunidade. Devemos também ser PERSEVERANTES, e aconteça o que acontecer, não devemos faltar as reuniões, pois quanto mais freqüentes formos, mais oportunidades teremos para o nosso desenvolvimento.
A BOA VONTADE também é muito importante, pois comparecer as reuniões contrariado ou por obrigação, é mais prejudicial do que não comparecer. Ter boa vontade, e comparecer alegres e satisfeitos as reuniões, e esforçar-se o máximo possível durante os momentos consagrados ao nosso desenvolvimento.
A HUMILDADE é a virtude pela qual reconhecemos que tudo que vem de DEUS, nosso pai, e que nós, por nós próprios, nada somos e nada podemos fazer. Por isso, nunca nos orgulhemos de nossa mediunidade, por mais prodigiosa que ela pareça ser. Para merecermos que DEUS permita que bons espíritos nos auxiliem, cultivemos a humildade, e para isso, devemos ser bondosos para com todos, pois a bondade é a mais bela forma de humildade.
E por fim, a SINCERIDADE. O médium sincero é aquele que transmite fielmente a comunicação dos espíritos, mesmo que ela seja contra a sua maneira de pensar, ou uma reprimenda a si próprio. Se faltarmos com a sinceridade no desempenho de nossa mediunidade, estaremos enganando a nós próprios, e cedo ou tarde sofreremos as decepções.

NORMAS QUE AUXILIAM UM BOM DESENVOLVIMENTO MEDIUNICO
Para facilitar e auxiliar nosso desenvolvimento mediúnico existe pontos básicos que devemos observar: a reforma intima, a leitura e meditação diárias e os estudos.
Ser portador de mediunidade não significa que somos melhores que os outros. Também não significa que devemos nos privar das coisas boas que a vida nos oferece. A par com a nossa mediunidade estão nossas obrigações com a sociedade, com a nossa família e com nós mesmos. O nosso aprimoramento espiritual será resultado de bem cumprimos as nossas tarefas materiais e espirituais.
É necessário que reorganizemos nossa vida mental e moral. Cultivemos bons pensamentos, porque através deles surgem as boas palavras, os bons atos. Pratiquemos a oração diária, feita com todo amor, pois ela é um fortificante espiritual. Tudo isso junto, produz nossa REFORMA INTIMA.