NA UMBANDA VOCÊ RECEBE?

Certa vez ao sair da faculdade, numa roda de colegas conversando, surgiu o delicado assunto: religião! E um foi perguntando ao outro sobre sua religião… uma disse espirita, outro católico e quando a pergunta chegou até mim, eu disse: Sou Umbandista! …aquele famoso silencio tomou conta do ar durante alguns segundos, chega até ser um pouco engraçado comentar isso, pois para mim se tornou algo tão natural.

E logo em seguida ouvi uma pergunta: Mas, você recebe? Alguém me questionou, parei por um instante para entender melhor o que acabara de ouvir, refleti instantaneamente sobre as palavras ditas naquele momento e respondi: SIM, EU RECEBO SIM!


Recebo todos os dias a condição de fazer minhas escolhas, tendo consciência de que se forem precipitadas, o único culpado por isso serei eu mesmo. Recebo de Deus uma nova chance em cada amanhecer para tentar fazer melhor que no dia anterior, para tentar fazer o meu melhor. Recebo a chance de estimular minha paciência, mesmo sabendo que por muitas vezes irei falhar ao tentar domina-la. Recebo da vida exatamente aquilo que vou semeando nela dia-a-dia.

Recebo das pessoas aquilo que dou a elas a cada momento de minha vida. Recebo da religião aquilo que ela pode me oferecer sempre: um AMOR incomparável, mas somente se meu coração estiver em paz. Recebo de uma entidade espiritual a palavra CERTA na hora e no momento certo, mesmo as vezes não sendo o que eu gostaria de ouvir. Recebo sempre bons frutos quando semeio essa “terra” divina que é a vida, o livre arbítrio. Recebo tempestades e colheitas árduas sempre se espalho incertezas, mentiras e duvidas no meu dia-a-dia. Recebo sim, um novo amanhã! Recebo sim um novo pôr do sol mesmo se o dia anterior tenha sido assombroso e triste, mas a luz sempre estará ali, disposta a me iluminar, me amparar. Recebo sorrisos se para a vida eu sorrir. Recebo lagrimas se só viver rodeado delas.

Recebo de Deus uma imensa oportunidade de corrigir minhas falhas e fazer de minha vida algo mais precioso e divino. Recebo chance atrás de chance, mesmo errando tanto. Recebo o poder da escolha: ou propago a maledicência ou a benevolência, novamente é uma escolha minha. Recebo a chance de sonhar. Recebo a chance de concretizar um sonho, mesmo deixando de acreditar nele em algum momento de minha vida. Recebo a chance de viver, e não ter vergonha de ser feliz! Recebo um abraço, mesmo as vezes não merecendo. Recebo um carinho, mesmo que às vezes não o procure. Recebo a oportunidade de descobrir que as coisas mais simples e belas da vida não tem valor ($), de poder fazer com que minha felicidade se torne algo simplesmente único.

Há, e recebo também a possibilidade de manifestar a natureza de Deus no meu corpo, mesmo ele sendo por vezes um instrumento um pouco desafinado, com partículas poluídas por pensamentos inoportunos e negativos, contendo um coração que por vezes carrega dúvidas e incertezas, mas sempre disposto a RECOMEÇAR. Dessa forma, recebo as dadivas do criador na minha vida e a partir disso, faço minhas escolhas.

Respondendo sua pergunta meu irmão: Sim, eu recebo! O silencio tomou conta novamente daquele momento e mais nada precisou ser dito, apenas refletido, logo em seguida fui embora, sempre esperando “receber” outra oportunidade dessas. E você também recebe?

“Enquanto você reza, vá fazendo!”

Por Murillo Folster, integrante da corrente mediúnica do Templo de Umbanda Caboclo Ubirajara.


Comentar com Facebook

Deixe uma resposta