O Direito de Sermos Respeitados


PiadinhaInfame

Ficamos constantemente admirados como as pessoas não têm o mínimo de respeito por nada. Não respeitam suas famílias, saem às ruas bradando que querem um país melhor, clamam e vislumbram um futuro próspero, mas em seu íntimo estão esperando na verdade a resolução de todos seus problemas pelos outros. Os outros por sua vez também não olham pra dentro de si e depositam em “outros” outros a mesma responsabilidade, a grande pergunta que não quer calar, quem enfim fará? Quem fará um futuro melhor para nós e para nossos filhos se nós mesmos não mudarmos?

O respeito pelo próximo na sua melhor forma de expressão seria realmente o que? Respeitar a orientação religiosa, raça, crença, condição social, orientação sexual, será cada um desses ou será todos?

Alguns negam a existência de DEUS, outros dizem não saber se existe e não acham isso um grande problema em sua vida e outros, porém, acreditam. Sem nenhuma pretensão de generalização, mas, cabe a quem não é da religião caçoar? Cabe a quem nem sequer aceita a existência divina falar, discutir ou ironizar?

Todos nós irmãos de fé já estamos fartos desse tipo de situação, seja desde o famoso “Chuta que é Macumba” até programas de televisão fazendo um descarrego de um Exu.

Quantos de nós já não vimos pelo menos um caso em nossos templos de um consulente que chega pedindo ajuda, que de maneira inadvertida chutou uma oferenda e está com a perna doendo, ou que desrespeitou uma divindade e agora se diz com os caminhos fechados pela vida.

Pois é, aí está o ponto. Mesmo para esses estamos sempre prontos a entender e atender, mesmo para esses que nos desrespeitam a Umbanda, os Sacerdotes e os médiuns sempre recebem de braços abertos sem falar ainda do abraço que levam para suas casas no fim dos trabalhos.

Nós estamos fartos! Exigimos respeito, por nós, por todos os médiuns, por todos os dirigentes e simpatizantes da religião e principalmente pelas divindades. Mais que um desejo ou um sentimento interno

Intolerância Religiosa é crime, imprescritível e inafiançável, temos portanto o direito de sermos respeitados.

Axé