Ogunhê, meu Pai!

Ogum Lindo

Quem de nós, seres humanos, não tem como ideal a liberdade?
A liberdade de ser, de estar, de fazer, de se movimentar, de agir com força, determinação e muita proteção?

Assim, se seu sonho de liberdade é algo a ser conquistado, saiba que os negros africanos, aqueles que nasceram livres e foram reduzidos à humilíssima condição de escravos, cultuavam Ogum, pois era Ele quem dava a Força de que necessitavam para conseguir a liberdade.

Ogum é o Orixá da Guerra, o guerreiro, general destemido e estratégico, é aquele que veio para ser o vencedor das grandes batalhas, o desbravador que busca a evolução.

Ogum é o que vem primeiro, o que está sempre à frente, um líder nato. Ele conhece e domina todos os caminhos, por isso nunca se perde e está sempre ajudando quando corretamente evocado. Diante disso, cultuar Ogum é vital para quem quer conseguir vencer suas batalhas com força, coragem e determinação.

Ogum é aquele que sempre está de “ronda” para proteger os injustiçados, é a Lei e a Ordem.

Legiões de Ogum:

Ogum Beira Mar: atua sob a energia da areia do mar- Reino de Yemanjá e Omulu

Ogum Sete Ondas: atua sob a energia das ondas- Reino de Yemanjá e Oxalá. Trabalha na ronda da Calunga Grande (mar e oceano).

Ogum Rompe-Matas: atua sob a energia das matas – Reino de Oxossi.

Ogum das Pedreiras: atua sob a energia das pedreiras – Reino de Xangô.

Ogum Megê: atua sob a energia da Calunga pequena (cemitério) na calçada que o cerca e diretamente com as almas – Reino de Obaluaê.

Ogum Naruê: atua sob a energia da Calunga pequena (cemitério) trabalhando basicamente no desmanche de magias negras, exercendo domínio sobre as almas quimbandeiras – Reino de Omulu.

Ogum Matinata: atua sob a energia dos campos abertos e colinas – Reino de Oxalá. Não há muitos médiuns que conseguem tê-lo como Orixá de trabalho, pois são bastante raros e difíceis de incorporar.

Ogum Iara: atua sob a energia dos rios, lagos e cachoeiras – Reino de Oxum.

Ogum Delê: traz consigo a vibração pura de Ogum e trabalha em todos os pontos de força. É a própria lei regendo reajustes cármicos.

Data festiva: 23 de abril

Saudação: Ogunhê, Meu Pai

Símbolo: Espada

Sincretismo religioso: São Jorge

Cores: Vermelho e Azul escuro

Instrumento: Idá, espada de ferro, Màrìwò, folhas do dendezeiro

Pedra: Granada, Rubi, Sardio

Ervas principais: Peregum, Mariô, Lança de Ogum, Espada de Ogum, Canela de Macaco, Parietária, Losna

Ponto de força: estradas e caminhos, estradas de ferro, o meio da encruzilhada.

Fonte: http://umbandacarismatica.org.br/ogum