Pontos de Zé Pelintra

Dim dim dim… (13x)
Pulando cruzado, no meio do terreiro chegou
Povo da Bahia, oi do Congo e da lei de Nagô
Chegou Zé Pilintra que veio do lado de lá
Fumando e bebendo e gritando “Vamos saravar!”
Saravá, ô ô, saravá

 

De terno branco, seu punhal de aço puro
Seu ponto é seguro quando vem pra trabalhar
Segura o nego, que esse nego é Zé Pilintra
Na descida do morro, ele vem trabalhar

 

Oi, Zé, quando vem de Alagoas, toma cuidado com o balanço da canoa (bis)
Oi, Zé, faça tudo o que quiser, oi Zé! Só não maltrate o coração dessa mulher (bis)

 

Saravá seu Zé Pilintra, moço do chapéu virado
Na direita ele é maneiro, na esquerda ele é pesado
Cuidado, meu camarada, não meta a mão em cumbuca
Quem mexer com Zé Pilintra vai ficar lelé da cuca

 

Rodeia, rodeia, rodeia, meu Santo Antônio, rodeia (bis)
Santo Antônio pequenino, amansador de burro bravo
Quem mexer com Zé Pilintra, tá mexendo é com o diabo

 

Tá chovendo, tá trovejando, tá relampiando, eu não posso negar (bis)
Zé Pelintra vem aí, Zé Pilintra vai chegar (bis)
Zé Pilintra, Zé Pilintra, boêmio da madrugada
Vem na linha das Almas e também na encruzilhada
O amigo Zé Pilintra, que nasceu lá no sertão
Enfrentou a boemia com seresta e violão
Hoje na lei de Umbanda acredito no Senhor
Vem benzer filhos de fé, pois tem fama de doutor
Com magia e mironga, dando forças ao terreiro
Saravá seu Zé Pilintra, o baiano mandigueiro