Que Deus é esse?

quedeus é esse
Somente, através do mecanismo reencarnatório, poderemos entender o porquê de centenas de jovens, uns estudantes, outros recém formados, tiveram que deixar a vida de uma maneira tão trágica.

Que Deus é esse? Certamente alguns pais, parentes e amigos desses jovens questionaram diante do desespero na hora do adeus aos entes queridos. E, naturalmente sob afirmações, entre um soluço e outro: meu filho, minha filha, meu amigo, minha amiga era tão bom!. Por que Deus permitiu que isso acontecesse?

No entanto, aqueles pais espiritualizados, e que através dos ensinamentos espiritualistas aprenderam conciliar a teoria com a pratica; apesar da dor profunda da separação física souberam compreender os desígnios de Deus. Ainda que anestesiados pela saudade que levará algum tempo para ser amenizada.

A morte, para quem tem uma visão da continuação da vida, é semelhante a uma longa viagem. Quando levamos alguém ao aeroporto para fazer uma viagem duradora sempre somos acometidos pela dor da saudade. Conforme sabemos, existem viagens em que temos tempo de nos preparar com antecedência, ou seja, arrumar a nossa bagagem. Já outras viagens acontecem de uma maneira inesperada; referimos-nos às mortes naturais e as trágicas. É por esse motivo que é muito importante mantermos a nossa bagagem sempre arrumada, pois nunca sabemos quando vamos viajar, e, em quais circunstancias.

Compreendemos as pessoas que sob o efeito da dor da separação dos seus entes queridos, exaltaram suas virtudes. Mas, perguntamos: quem foram esses jovens no passado? A pergunta não se refere a quando eles eram crianças. Vamos mais além, até suas vidas pregressas. Só através da reencarnação, vamos encontrar a respostas para essas perguntas. Caso contrario, Deus seria injusto em tirar bruscamente a vida de tantos jovens que diante da profissão que escolheram poderiam contribuir positivamente para o futuro da humanidade.

Só admitindo através do processo reencarnatório, que esses mesmos espíritos que ora tinham aparência juvenil, são os mesmos espíritos que já viveram muitas outras vidas, usando outros corpos, outros nomes, e com mentalidades diversificadas.

Que Deus é esses? ´É um Deus de pura bondade e amor, e que só quer o melhor para seus filhos, independentemente de eles acreditarem ou não na sua existência.

Jesus, o mestre dos mestres, disse certa feita: “cada um segundo suas obras”, e complementou: “ninguém sairá daqui sem pagar ceitil por ceitil.

Certamente, o que representa para os pais, familiares e amigos desses jovens envolvidos nessa morte coletiva, momentos de dor e tristeza; para eles significa coragem e liberdade.

Coragem de não desistir do propósito, mesmo sabendo de uma forma inconsciente das provas que seriam submetidos, e liberdade pelo compromisso e dever cumprido.

Na tragédia em questão, que teve como palco a cidade de Santa Maria, muitos jovens se amontoaram nos banheiros. E, lá deixaram seus corpos físicos e partiram para o mundo espiritual. A priori idéia que vem logo a cabeça, é de que eles correram para os banheiros visando fugir da fumaça. Se, olharmos o passado, e compararmos com o presente, teremos outra visão, ou seja, eles correram para os banheiros buscando a concentração de fumaça.

Dentre os acontecimentos que marcaram através do terror a historia da humanidade, o pior de todos eles foi o holocausto, quando milhares de pessoas foram exterminadas através das câmaras de gás instaladas dentro de banheiros, quando para lá as vitimas eram levadas na ilusão de que iriam tomar banho de chuveiro, como os banheiros ficavam pequenos devido a quantidade exagerada de pessoas que eram colocadas neles, muitas pessoas eram obrigadas entrar com os braços levantados, e assim permanecia até o momento em que as câmaras eram ligadas e todos morriam por asfixia.

Provavelmente, muitos desses espíritos (jovens) que viveram a tragédia de Santa Maria, sejam os mesmo que protagonizaram o holocausto , acontecimento que deixou uma marca de terror na historia da humanidade.

E, escolheram ou foram levados a reencarnar no Brasil, pátria do Evangelho e Coração do Mundo, para resgatar seus débitos.

Uma coisa é certa, é preciso compreensão, decisão e coragem para desencarnar do jeito que esses espíritos desencarnaram, certamente experimentando as mesmas aflições que suas possíveis vitimas do passado sofreram.

Felizes são aqueles que têm coragem de assumir um compromisso do passado, por mais doloroso que ele seja.

Pois, com toda certeza, depois do dever cumprido, na hora de retornar ao mundo espiritual, não faltam familiares e amigos para recebê-los de braços abertos e parabenizar-los pelo cumprimento da missão.

Que o Grande Deus do Universo ilumine o caminho desses espíritos.

Por: Novideval Costa