Santa Sara Kali sincretismo Mãe Egunitá – a purificação

egunita

“Não há no mundo outro agente de purificação igual à chama da Verdade Espiritual.
Quem a conhece, quem a ela se dedica, será purificado.” Bhagavad Gitã

Purificar é limpar desembaraços, é desimpregnar um ser, física e Espiritualmente. A Divindade cujo mistério é o Fogo e a Justiça Divina, que purificam os excessos emocionais dos seres desequilibrados, desvirtuados e viciados, é Mãe Egunitá. Os vícios emocionais tornam os seres insensíveis à dor alheia. Os desequilíbrios mentais transformam os seres em tormentos para seus semelhantes.

Mãe Egunitá é o Fogo Divino da purificação das ilusões humanas. É o fogo consumidor das paixões humanas, é o raio rubro, o braseiro que queima. As energias incandescentes e flamejantes tanto consomem os vícios quanto estimulam os sentimentos de justiça.

O fogo é um elemento temido. Mãe Egunitá, no panteão hindu, era conhecida como a deusa Kali, divindade evitada e temida por todos os que desconheciam seu mistério. O fogo de Egunitá consome as energias dos seres apaixonados, emocionados, fanatizados ou desequilibrados, reduzindo a chama interior de cada um (sua energia ígnea) a níveis baixíssimos, apatizando-os, paralisando-os e anulando seus vícios emocionais e desequilíbrios mentais, sufocando-os.

Mãe Egunitá, como irradiadora da chama cósmica e purificadora da Justiça Divina, atua sobre os seres movidos por paixões avassaladoras e os incandesce até que comecem a consumir a si próprios. Nos desequilíbrios mentais, mãe Egunitá retira toda a energia ígnea do corpo energético do ser e ele se resfria de imediato.

Egunitá rege o fogo cósmico da purificação dos meio-ambientes religiosos, das casas, do íntimo dos seres e das injustiças, incandescendo os seres negativados. Egunitá é em si o fogo cósmico que está em tudo o que existe, mas diluído.

Egunitá propaga-se cosmicamente e suas fagulhas ígneas começam a imantar tudo o que está desequilibrado, até que se forme uma condensação magnética ígnea. Aí surgem labaredas cósmicas que consomem os desequilíbrios, anulando sua causa e paralisando quem estava desequilibrado. Esse fogo purificador de Egunitá tem o poder de purificar, de consumir tudo onde se condensou, e, em certos casos, fica apenas um vazio cósmico onde ele atuou.

Mãe Egunitá é a regente cósmica do Fogo e da Justiça Divina, que purifica os excessos emocionais dos seres desequilibrados, desvirtuados e viciados. Ela é uma divindade de natureza justiceira. Mãe Egunitá é o fogo das paixões humanas, é ativa e atrai; torna o ser rubro, é a serpente rubra da paixão e o braseiro que queima.

Egunitá é fogo puro, está em tudo o que existe, mas diluído, e suas irradiações cósmicas absorvem o ar, elemento com o qual se energiza e se irradia. Como o ar é seu segundo elemento, que a alimenta e energiza – e é o elemento da linha da Lei – ela é uma divindade que aplica a justiça como agente ativa da Lei e consome os vícios emocionais e os desequilíbrios mentais dos seres. A Justiça não anula a Lei, mas dota-a de recursos legais (jurídicos) para que possa agir com mais desenvoltura. E a Lei não anula a Justiça, mas dota-a com recursos para que possa se impor onde injustiças estejam sendo cometidas. Fogo e ar – Justiça e Lei – são elementos que se complementam e duas Linhas de Umbanda indissociáveis. Egunitá, justiceira, polariza com Ogum, aplicador dos princípios da Lei Maior.

Quando evocamos Ogum para atuar em nosso favor e nos defender das investidas dos seres desequilibrados, suas hierarquias luminosas ativam seus pares opostos, ativos e cósmicos da irradiação da justiça Divina, cujos magnetismos esgotam os desequilíbrios e as injustiças do irracionalismo.

O fogo de Mãe Egunitá, consumidor dos vícios e dos negativismos, é temidíssimo pelos seres que habitam as faixas vibratórias negativas, pois ela se alimenta das energias negativas que eles geram e irradiam. Esse fogo consome as energias dos seres apaixonados, emocionados, fanatizados ou desequilibrados … Além de purificar os vícios e os desequilíbrios, ela purifica também os ambientes religiosos (templos) e residenciais (moradas) e o íntimo dos seres (sentimentos).

Os vícios emocionais tornam os seres insensíveis à dor alheia. Os desequilíbrios mentais os transformam em tormentos para seus semelhantes. Egunitá, como todos os orixás, possui aspectos positivos e negativos. Os positivos entram em nossa vida acelerando nossa evolução. Os negativos paralisam-na. Para essa Mãe atuar em nossas vidas, depende apenas que nos tornemos irracionais apassionados e desequilibrados.

O fogo consumidor gerado por Olorum está espalhado por toda a Sua criação e, onde surgir um desequilíbrio, o próprio magnetismo negativo do ser desequilibrado já começa a atrair, condensar e acumular esse fogo consumidor que, quando atingir seu ponto de incandescência consumista, o esgotará e o anulará.

Manual Doutrinário, Ritualístico e Comportamental Umbandista Lurdes de Campos Vieira (Coord.) – Editora Madras