CONSELHO DE AMIGO!


Certa vez fui questionado por um Guardião, sobre como eu estava. Eu, em meio à angústia e falta de esperança, respondi para que estava ‘sobrevivendo’. Ele sempre muito direto em suas palavras, me perguntou o motivo pelo qual eu estava vivo, pois sobreviver é pouco e um tanto quanto egoísta.

Imerso em meus pensamentos angustiados e desorganizados dos últimos dias, eu não soube o que lhe responder. Na verdade, eu não tinha um motivo forte ‘na ponta da língua’ para responder sua pergunta, que de fato era uma pergunta simples. No momento passaram pela minha mente lembranças boas, que me fazem sentir melhor, minha família, pessoas que eu amo e quero bem, mas antes que eu pudesse dizer algo, ele, sempre astuto, me dissera: “é pouco! Sim, é pouco você me responder que vive pelos outros. Que seja um filho seu, por mais bonito que isso seja, ainda é pouco. Um dia os seus, ou seja lá quem for, vão embora, eles vão procurar suas razões para viverem. E você? Sua razão pra viver se foi, voou para longe, como o ciclo natural de tudo. Ai filho, você vai viver pelo que? Por quem?”.

Alguns dias após essa conversa, eu sigo em análise, sigo em reforma íntima, procurando meus motivos pra responder a sua pergunta.

Todos os dias em meio ao caos dos meus pensamentos, quando sinto o desespero bater na minha mente, eu me pergunto: E aí, está vivendo pelo que? Chega a ser cômico, pois todos os dias ao me deitar eu tenho tanto pra agradecer, e mesmo assim eu ainda não sei o que responder a ele.

Talvez eu jamais tenha uma resposta pronta, mas a sua pergunta sempre ecoa na minha mente e me impulsiona todos os dias.

Parece pouco, parece simples, parece até bobo, mas às vezes é só disso que precisamos: um questionamento interno. Ainda não sei o que responder, mas a partir daquele dia eu parei de sobreviver e voltei a viver… Pelo que? Eu ainda não sei, estou vivendo pra saber.

Texto enviado por Murillo Folster, integrante da corrente mediúnica do Templo de Umbanda Caboclo Ubirajara.

LIBERTE SUA MENTE!


Às vezes nos pegamos em pensamentos e questionamentos do porquê passar por certas dores e sofrimentos, mas é preciso lembrar…somos os únicos responsáveis por nossas escolhas, elas determinam nossos caminhos. Escolher sofrer depende de você, o sofrimento existe por uma criação de nossa mente. Somado a isso, energias negativas se aproveitam para nos prender em uma rede de dor e angústias.

Continue lendo

HONRAR PAI E MÃE!

Honrar pai e mãe acima de tudo?

Desde pequenos nos é ensinado a honrar nossos pais, não responder, respeitá-los e sempre obedecê-los, e isso realmente é uma regra que devemos seguir por toda nossa existência. Mas… Como sempre, toda regra tem sua exceção.

E quando vivemos uma relação abusiva?

E não falo aqui somente de abuso físico, mas também de abuso psicológico, moral e emocional.

Continue lendo

O QUE É MERECIMENTO?

Muitas vezes durante palestras ou giras ouvimos mencionar essa palavra, mais nem sempre a compreendemos totalmente, já parou para refletir sobre o que pode significar merecimento? Sorte é merecimento? Nossa vida é e sempre foi muito clara e transparente e acredite nada acontece por acaso. A sorte nada mais é do que uma bela colheita.
Continue lendo

Palavras de um médium …

perdão

Feliz com palavras realmente sinceras, que com toda certeza vieram de coração!!! Obrigado

“Olá, bom dia! Eu sou reservada por natureza e com o tempo aprendi a ouvir mais e falar menos. De tanto observar e me auto analisar, tomei consciência que palavras e atitudes ferem e, que as palavras ferem muitos mais e seus efeitos se propagam. Depois de proferida a palavra ganha asas e quando escrita tonar-se eterna, então, nada mais pode ser feito. Por essa razão e para não passar uma imagem de prepotência ou a impressão de que estou bajulando, escrevo esse depoimento.

Eu tenho muito a agradecer a casa, ao Pai e aos médiuns que me ampararam, me confortaram e me confrontaram na medida da necessidade de cada momento. Nem me lembro qual foi a última vez que chorei ou me escondi da vida. Hoje tenho minhas agruras, meus percalços, minhas pedras no sapato. Porém, elas já não me machucam como antes. Ainda questiono alguns pontos do meu desenvolvimento e da minha evolução, do contrário algo estaria errado.
Continue lendo