Ogum, São Jorge Guerreiro.

Cada um dos 16 orixás – as entidades cultuadas no candomblé e na umbanda – corresponde a um ou mais santos católicos.
Ogum é uma divindade masculina iorubá, figura que se repete em todas as formas mais conhecidas da mitologia universal, OGUM é o arquétipo do guerreiro.
Bastante cultuado no Brasil, especialmente por ser associado à luta, a conquista, é a figura do astral que, depois de Exu, esta mais próxima dos seres humanos. O guerreiro sempre foi à figura mística do deus mais evocado, já que é sua função realizar no astral as guerras que os seres humanos não conseguem travar ou vencer na sua luta cotidiana.
Foi uma das primeiras figuras do candomblé incorporada por outros cultos, notadamente pela umbanda, onde é muito popular. É sincretizado com São Jorge.
São Jorge sempre despertou-nos mais variados povos da Antiguidade, e ainda hoje, o fascínio de uma divindade que mesclava a força, a energia criativa,à proteção do guerreiro, daquele que traz consigo o poder da terra e dos veios ferrosos. O ferro, enquanto matéria prima imprescindível para a confecção das armas que manteriam determinada sociedade em condições de lutar pela sua sobrevivência, associou-se a vários outros símbolos que culminaram por forjar o famoso “Santo Guerreiro”.
Continuar lendo

Homenagem a Ogum

ogum preto e branco

Sim, nunca tive duvidas de que, no espaço, alguém vela por mim, nunca receei enfrentar as dificuldades da vida terrena que escolhi, pois sei muito bem que alguém muito especial cuida de mim.

Num mundo difícil, de muito receio e ceticismo no tocante à espiritualidade, a vossa presença, o vosso fluido é um balsamo,, um oásis para aqueles que procuram na verdade do espirito o verdadeiro caminho de Deus.

Desde um passado remoto, busco e anseio por evoluir, e sempre encontrei nas vossas orientações a certeza da vitoria.

A vossa vibração é o escudo para enfrentar as demandas, o vosso brado é o vigor para renovar meu desejado por quem almeja viver e dizer:

SOU FILHO DE OGUM, OGUM Ê, MEU PAI !!!

Oração a Ogum


Ogum, meu Pai – Vencedor de demanda, poderoso guardião das Leis, chamá-lo de Pai é honra, esperança, é vida.
Vós sois meu aliado no combate às minhas inferioridades.
Mensageiro de Oxalá – Filho de OLORUN.
Senhor, Vós sois o domador dos sentimentos espúrios, depurai com Vossa espada e lança, minha consciente e inconsciente baixeza de caráter.
Ogum, irmão, amigo e companheiro, continuai em Vossa ronda e na perseguição aos defeitos que nos assaltam a cada instante.
Ogum, glorioso Orixá, reinai com Vossa falange de milhões de guerreiros vermelhos e mostrai por piedade o bom caminho
para o nosso coração, consciência e espírito.
Despedaçai, Ogum, os monstros que habitam nosso ser, expulsai-os da cidadela inferior.
Ogum, Senhor da noite e do dia e de mãe de todas as horas boas e más, livrai-nos da tentação e apontai o caminho do nosso Eu.
Vencedor contigo, descasaremos na paz e na Glória de OLORUN.
Ogunhê Ogum!!!
Patacori Meu Pai