Gratidão, um dom de troca

A gratidão é um sentimento que traz junto de si uma série de outros sentimentos: amor, ternura, fidelidade, amizade, cumplicidade… Mas nunca submissão! É importante não confundir gratidão com atitudes de lisonja ou bajulação pois não há hierarquias na gratidão e não há diferenças. Aliás, o oposto da gratidão não é, como muitos pensam, o ódio, mas sim a indiferença. Quem não ama (seja que tipo de amor for: de pai, de mãe, de irmão, de namorado ou esposa) não é grato. Quem não ama não é aquele que odeia, mas sim aquele que ignora, que é indiferente. A falta de gratidão é resultado da incapacidade de dar e por isso mesmo está ligada ao egoísmo e à insensibilidade, afinal agradecer é dar, é dividir.
A gratidão não nos tira nada, ela é um dom de troca, é amor puro e verdadeiro e por isso ela se aproxima tanto da caridade, que seria como “uma gratidão incoativa, uma gratidão sem causa, uma gratidão incondicional”. Há um quê de nobreza, de olho no olho, de igualdade e reconhecimento do espírito e do pensamento daquele a quem devemos ou de quem somos alvo de gratidão.

Continuar lendo