CONSELHO DE AMIGO!


Certa vez fui questionado por um Guardião, sobre como eu estava. Eu, em meio à angústia e falta de esperança, respondi para que estava ‘sobrevivendo’. Ele sempre muito direto em suas palavras, me perguntou o motivo pelo qual eu estava vivo, pois sobreviver é pouco e um tanto quanto egoísta.

Imerso em meus pensamentos angustiados e desorganizados dos últimos dias, eu não soube o que lhe responder. Na verdade, eu não tinha um motivo forte ‘na ponta da língua’ para responder sua pergunta, que de fato era uma pergunta simples. No momento passaram pela minha mente lembranças boas, que me fazem sentir melhor, minha família, pessoas que eu amo e quero bem, mas antes que eu pudesse dizer algo, ele, sempre astuto, me dissera: “é pouco! Sim, é pouco você me responder que vive pelos outros. Que seja um filho seu, por mais bonito que isso seja, ainda é pouco. Um dia os seus, ou seja lá quem for, vão embora, eles vão procurar suas razões para viverem. E você? Sua razão pra viver se foi, voou para longe, como o ciclo natural de tudo. Ai filho, você vai viver pelo que? Por quem?”.

Alguns dias após essa conversa, eu sigo em análise, sigo em reforma íntima, procurando meus motivos pra responder a sua pergunta.

Todos os dias em meio ao caos dos meus pensamentos, quando sinto o desespero bater na minha mente, eu me pergunto: E aí, está vivendo pelo que? Chega a ser cômico, pois todos os dias ao me deitar eu tenho tanto pra agradecer, e mesmo assim eu ainda não sei o que responder a ele.

Talvez eu jamais tenha uma resposta pronta, mas a sua pergunta sempre ecoa na minha mente e me impulsiona todos os dias.

Parece pouco, parece simples, parece até bobo, mas às vezes é só disso que precisamos: um questionamento interno. Ainda não sei o que responder, mas a partir daquele dia eu parei de sobreviver e voltei a viver… Pelo que? Eu ainda não sei, estou vivendo pra saber.

Texto enviado por Murillo Folster, integrante da corrente mediúnica do Templo de Umbanda Caboclo Ubirajara.

FUNDAMENTOS DA QUARTINHA!

As religiões Afro-Brasileiras tem sua ritualística própria e dentro das suas peculiaridades está o ritual das Quartinhas.

Ao chegar num Terreiro é muito comum avistar na entrada, sobre o piso ou sobre o portal da entrada, uma QUARTINHA, que significa que o espaço é Sagrado e tem a faculdade de mostrar à primeira vista que se trata de um local de ritual religioso.

Continue lendo

Farinhas na Umbanda!

36338988_1708683862513340_2785636773672255488_nNa Umbanda temos a utilização de vários elementos minerais, vegetais e animais. A manipulação desses elementos é a forma de magia encontrada para a captação de energia das sagradas forças da natureza (Orixás) e Entidades para beneficiar alguém que esteja necessitando.

Um dos principais elementos utilizados é a Continue lendo

Curta nossa Página!!

Link

www.facebook.com/tucabocloubirajara/

Olá, amigos e irmãos de fé!
Curta nossa página no facebook para ajudar na divulgação de nosso Templo Espiritual e na propagação de nosso trabalho de caridade.

O Templo de Umbanda Caboclo Ubirajara fica situado a Rua Pascoal Ganeo 1047, Centro, Santa Cruz da Conceição – SP.
Atendimentos aos sábados as 19h30min.
A casa foi fundada em Março de 2002, tem como dirigente Espiritual
Pai Carlos d’ Oxóssi, seguindo os rituais de Umbanda ditados pelo Caboclo Ubirajara Peito de Aço, guia chefe desse terreiro.
Nosso Templo visa amparar e auxiliar todos aqueles que buscam se reencontrar nos caminhos de Nosso Pai Celestial.

⇓ Link

https://www.facebook.com/tucabocloubirajara/

O TRABALHO DOS GUARDIÕES EXUS DE LEI

exu_logo_15x8

Ele é o guardião dos caminhos, soldado dos Pretos-velhos e Caboclos, emissário entre os homens e os Orixás, lutador contra o mau, sempre de frente, sem medo, sem mandar recado.
Exu, termo originário do idioma Yorubá, da Nigéria, na África, divindade afro e que representa o vigor, a energia que gira em espiral. No Brasil, os Senhores conhecidos como Exus, por atuarem no mistério cuja energia prevalente é Exu, e tanto assim, em todo o resto do mundo são os verdadeiros Guardiões das pilastras da criação.

Continue lendo