A PRESSA E A ANSIEDADE DENTRO DA UMBANDA!

pressa

O tema que estarei abordando é uma das maiores dificuldades encontradas dentro dos terreiros, e muitas vezes não começa ali no iniciar dentro da gira, começou bem antes quando aquele médium ainda era um consulente. Muitas pessoas quando entram num terreiro, ficam encantadas, acham aquilo tudo muito magico, acham tudo lindo, e com o tempo começam a querer fazer parte daquilo tudo, não se contentam mais em ser apenas consulentes, sentem como um chamamento, mas tem um porém, qualquer dirigente no mínimo responsável sabe perfeitamente que o ingressar dentro de um terreiro é algo de suma responsabilidade, comprometimento e seriedade, ali não é um brinquedo de um parque de diversão onde a pessoa quer passar umas horas e brincar e quando cansar largar, e que essa empolgação pode ser algo passageiro. Quando  ocorre o despertar consciencial de uma pessoa não tem volta, é como uma casca de ovo que se quebra, aquela pessoa foi tocada pelo espiritual. Infelizmente algumas pessoas pensam apenas impulsivamente sobre o assunto, na euforia do momento, e querem que por que querem estar dentro da gira, é onde começa o primeiro sintoma da tal complicada pressa.

Continuar lendo

Qual a minha religião? Eu sou umbandista!

16 orixás 01

Muitas pessoas confundem tudo onde acontece a incorporação como sendo Umbanda. Existe muito terreiro de pura feitiçaria comandado pelo baixo astral; lugares onde se cobra pelo trabalho realizado; casas onde são feitas amarrações, demandas e magias negativas; locais que prometem milagres e comercializam a fé alheia … e para tudo isso é usado o nome da Umbanda! Por esse motivo o povo umbandista é descriminado, ironizado e ridicularizado. Somos julgados e analisados a todo momento pois as pessoas nos olham com medo, insegurança e desconfiança já imaginando “o perigo” que será a convivência com um umbandista.
Continuar lendo

Compromisso com a mediunidade

intuição

Desenvolver a mediunidade na Umbanda é algo considerado de grande responsabilidade. O médium que vai se desenvolver irá lidar com vidas humanas, muitas vezes, em momentos de dor e perdas, outros em conflitos existenciais e questionamentos de valores.

Este médium para exercer minimamente bem sua atividade mediúnica diante da responsabilidade assumida deve ter ao menos comprometimento com o compromisso assumido ou que pretende assumir.

Se a tarefa mediúnica não é prioridade em sua vida, então podemos concluir que dificilmente realizará um bom trabalho para si e para os outros, pois, não basta ter o fenômeno de incorporação e deixar que um espírito faça tudo e assuma todas as responsabilidades como se este trabalho não dependesse também de uma parceria entre o médium e seus guias que necessitam dele para trabalhar e vice-versa.
Continuar lendo

Mediunidade de incorporação na Umbanda


A palavra “incorporar” tem vários significados:

– Ela nos dá a idéia de unir, (incorporar alguma coisa a algo que já temos; unir conceitos ou práticas);

– Igualmente, nos traz o sentido de reunir ou fazer fusões, (de empresas, instituições, etc.);

– Também a de introduzir, (incorporar um conceito: assimilar e aplicar esse conceito a alguma coisa que já fazemos);

– E ainda sugere a idéia de dar forma física, forma material ou forma corpórea, (dar corpo).

Na Umbanda, dentro do campo da mediunidade, falar em “incorporação” sugere a idéia de “dar passagem a uma Entidade”, geralmente um Guia Espiritual que vem trazendo uma mensagem de orientação; outras vezes, ocorre a incorporação de Encantados (ex.: a de Crianças) ou a de Naturais (ex.: a do Orixá do médium). E a vontade de incorporar deixa muitos médiuns angustiados !
Continuar lendo

Evocações espirituais em um templo


Como ocorre este processo mediúnico e como lidar com as principais dificuldades, como a mistificação e identificação do espírito?

No século XIX, durante as pesquisas das manifestações espíritas, concluiu-se que inteligências extrafísicas as provocavam e dirigiam.

Diziam serem almas de pessoas já falecidas, dando provas de identificação. Então, um mundo novo se abriu aos olhos da humanidade: o mundo espiritual, habitado por seres que, através da morte, já haviam abandonado o veículo físico.

Em todo o tipo de fenômeno mediúnico ocorrem certas fases que podemos considerar como fundamentais e, dependendo da categoria do fenômeno, acontecem particularidades que lhe são próprias. Seja o fenômeno mediúnico de efeitos inteligentes – psicografia ou psicofonia – seja consciente ou inconsciente, mecânico ou intuitivo, sempre ocorrem fases que podem ser esquematicamente assim estudadas:
Continuar lendo