O grande Mal


Hoje em dia há dezenas de bons livros que nos trazem os alertas e os ensinamentos para que não nos deixemos cair nas redes obsessivas. Sabemos que tanto podemos ser vítimas de antigos algozes de vidas passadas, como por algo que estejamos fazendo na existência presente, principalmente se estamos praticando o Bem e a Caridade, pois isto incomoda os que querem obstaculizar o progresso do Planeta. Há também problemas complicados que levam a auto-obsessão, resultante de paixões, medos excessivos, vaidades.

A obsessão é silenciosa, melíflua, se enraíza onde houver terreno fértil. O perigo se encontra, quando o Ego supera a Consciência, quando os problemas cotidianos toldam a verdadeira meta da vida, que é o caminho pessoal evolutivo, é a compreensão da jornada do próprio espírito e a busca da superação das dificuldades, transmutando incapacidade em habilidade, ignorância em proficiência.
Continuar lendo

Evocações espirituais em um templo


Como ocorre este processo mediúnico e como lidar com as principais dificuldades, como a mistificação e identificação do espírito?

No século XIX, durante as pesquisas das manifestações espíritas, concluiu-se que inteligências extrafísicas as provocavam e dirigiam.

Diziam serem almas de pessoas já falecidas, dando provas de identificação. Então, um mundo novo se abriu aos olhos da humanidade: o mundo espiritual, habitado por seres que, através da morte, já haviam abandonado o veículo físico.

Em todo o tipo de fenômeno mediúnico ocorrem certas fases que podemos considerar como fundamentais e, dependendo da categoria do fenômeno, acontecem particularidades que lhe são próprias. Seja o fenômeno mediúnico de efeitos inteligentes – psicografia ou psicofonia – seja consciente ou inconsciente, mecânico ou intuitivo, sempre ocorrem fases que podem ser esquematicamente assim estudadas:
Continuar lendo