Rezar…

rezando

Quantos de nós aprendemos ainda pequeninos, sob voz mansa de nossos pais e avós, as palavras sagradas pertencentes de uma oração? Quantos de nós já ouvimos como orientação espiritual de Guias e autoridades espirituais a necessidade da prece? Quantos rezamos? Quanto, nesse mundo de meu Deus, falamos, conversamos e suplicamos com força e coragem em rezas, preces e orações???

Sim, o poder da oração é muito maior do que imaginamos.

Mesmo porque a verdadeira oração nos desenvolve no espírito, nas forças espirituais. Ela, a reza, deve ser o desejo sincero levando-nos a perceber mais claramente os nossos desejos, mas principalmente, deve servir de escola para a alma.
Continuar lendo

Qual a minha religião? Eu sou umbandista!

16 orixás 01

Muitas pessoas confundem tudo onde acontece a incorporação como sendo Umbanda. Existe muito terreiro de pura feitiçaria comandado pelo baixo astral; lugares onde se cobra pelo trabalho realizado; casas onde são feitas amarrações, demandas e magias negativas; locais que prometem milagres e comercializam a fé alheia … e para tudo isso é usado o nome da Umbanda! Por esse motivo o povo umbandista é descriminado, ironizado e ridicularizado. Somos julgados e analisados a todo momento pois as pessoas nos olham com medo, insegurança e desconfiança já imaginando “o perigo” que será a convivência com um umbandista.
Continuar lendo

Fé ou Crença?

fé3

Muitas pessoas, assim como muitos médiuns umbandistas, batem no peito com a maior convicção de Fé. No entanto, percebe-se que não existe a Crença, ou, ao contrario, estão cheios de crença, mas falta-lhes a Fé. Sei que Fé e Crença parecem a mesma coisa, no entanto há uma diferença significativa e, mais que isso, uma serve de base e de complemento à outra. É como a delicada, mas fundamental engrenagem de um relógio, ou seja, a Fé só existe na sua totalidade se baseada na Crença e vice-versa.

Vejamos, a Fé é o que vivenciamos, é a experiência sentida como verdade, é o valor do “Sentir Absoluto”, é a absoluta confiança sem ao menos precisarmos de uma prova. A Fé está diretamente ligada ao sentido de acreditar, confiar ou apostar, portanto ter Fé em algo ou alguém é acreditar, confiar e apostar nesse algo ou nesse alguém incondicionalmente. No entanto esses sentidos devem ser nutridos pelo sentimento de afeição e amor, caso contrário a Fé verdadeira e plena não existe e não existirá.
Continuar lendo

Olhares cuidadosos

flor

Certa senhora procurou o Chico com uma criança nos braços e lhe disse:

– Chico, meu filho nasceu surdo, mudo, cego e sem os dois braços. Agora está com uma doença nas pernas e os médicos querem amputar as duas para salvar a vida dele. Há uma resposta para mim no Espiritismo?

Foi com a intervenção de Emmanuel que a resposta veio:

– Chico, explique à nossa irmã que este nosso irmão em seus braços suicidou-se nas dez últimas encarnações e pediu, antes de nascer, que lhe fossem retiradas todas as possibilidades de se matar novamente. Mas, agora que está aproximadamente com cinco anos, procura um rio,um precipício para se atirar. Avise nossa irmã que os médicos amigos estão com a razão. As duas pernas dele vão ser amputadas, em seu próprio benefício, para que ele fique mais algum tempo na Terra, a fim de que diminua a ideia do suicídio.

Retirado do livro “Chico, de Francisco” – de Adelino Silveira
Continuar lendo

Umbanda é pé no chão


UMBANDA É PÉ NO CHÃO!
Mas, por quê?

“Todo Umbandista já deve ter ouvido a frase “Umbanda é pé no chão”. Mas será que todos sabem o porquê de ficarmos descalços em nossos terreiros? São três motivos principais.

– O primeiro motivo é que o solo representa a morada dos nossos antepassados e quando estamos descalços tocando o chão com os pés estamos entrando em contato com estes ancestrais e, consequentemente, com todo o conhecimento e com toda a sabedoria que esse passado guarda.

– O segundo motivo pelo qual tiramos os calçados é o respeito ao solo sagrado do terreiro. Imagine que vir da rua com os sapatos sujos e entrar com eles no lugar em que nossos trabalhos espirituais são realizados seriam ações como alguém entrar em nossa casa carregando uma montanha de lixo que vai caindo e se espalhando por todos os cantos. Diante desta situação, você diria o quê? No mínimo, que essa tal pessoa não tem respeito por você ou pela sua casa.
Continuar lendo