Animismo e Mistificação – 26/11/11

Animismo
Na esfera de atividades espíritas, animismo é a intervenção da própria personalidade do médium nas comunicações dos espíritos desencarnados, quando ele coloca nelas algo de si próprio, como se fossem mensagens transmitidas pelas entidades. Assim, quando algumas pessoas afirmam que determinada comunicação mediúnica foi puro “animismo”, estilo querendo explicar que a alma do médium ali interveio com exclusividade, tendo ele manifestado seus próprios conhecimentos e conceitos pessoais, embora depois os rotulasse com o nome de algum espírito desencarnado. Esta interferência anímica inconsciente (sem vontade do médium) por vezes é tão sutil, que o médium é incapaz de perceber quando seu pensamento intervém, ou quando, é o espírito comunicante que transmite as suas idéias pelo contato perispiritual.
No inicio do desenvolvimento, todo médium possui uma parte anímica, pois a entidade não está incorporada ainda. Ela apenas esta irradiando seus fluidos, para que a matéria do médium com ela acostume. Daí então, a parte anímica do médium entrar em ação, pois a proporção de atuação da entidade é muito pequena em relação ao seu mental. Só depois de algum tempo de trabalho assíduo na Seara Mediúnica, acompanhado de muito estudo, muito autocrítica, e afinidade, enfim a sensibilidade mediúnica, é que o médium consegue dominar e distinguir com êxito o fenômeno anímico e eliminá-lo de sua atividade mediúnica.
Continuar lendo