Os guardiões na Umbanda


No texto abaixo, não aparecerão outros nomes ou mesmos palavras designando entidades, porém, é bom frisar que não há intenção de omissão, ou mesmo que não existam outros Guardiões ou Exus. A Umbanda é muito maior do que se divulgam e muitos são os centros e médiuns, que recebem entidades desconhecidas pela Irmandade.

Os guardiões são uma energia da natureza. Ser elementar e Guardião das fronteiras que separa o mundo inferior do superior. Polícia de choque que persegue, prende e leva para os campos de orientação espiritual os espíritos perversos, que semeiam a discórdia, o ódio e a vingança entre os homens. Elo entre o ser humano e os Guias maiores, é ele que leva seus pedidos até eles, e cumpre severamente suas determinações.
Guardião não é mal, ele é justo, fazendo cumprir a Lei Divina de “ação e reação” ou “Lei do retorno”.
O ser humano tem consciência do que é certo e do que é errado, mas age em desacordo com as Leis Divinas que, em um de seus mandamentos diz “Ama teu próximo, como a ti mesmo”. O homem não cumpre esta Lei, age por impulso e consciente do que faz, semeia a tristeza e a dor nos corações inocentes, direcionando esta energia somente para a maldade, esquecendo-se que existe no Universo a Lei que chamamos de “Lei do Retorno”.
Muitos trabalham com entidades trevosas, que, ludibriando médiuns desesperados e despreparados, se passam por Guardiões e praticam todos os tipos de atrocidades. As pessoas que trabalham com tais seres não passam de “Adeptos do Mal”, que cegos pelo egoísmo e pelo desejo do poder, seguem fielmente suas ordens, não sabendo eles que o submundo os espera. E grande vai ser a surpresa, quando se sentirem arrastados por estes habitantes das trevas.
Continuar lendo