Livre Arbítrio

livre-arbitrio

O livre-arbítrio é a característica que faz de você co-criador com Deus. Nós herdamos de Deus a capacidade de criação.

E exercemos essa capacidade pelo nosso poder de escolha. Podemos fazer ou deixar de fazer de acordo com a nossa vontade. Isso nos torna responsáveis pelos atos que praticamos e pelos atos que poderíamos praticar e não praticamos. Responsáveis pelo mal que fazemos e pelo bem que deixamos de fazer.

Somos influenciados constantemente. Influenciados pelos nossos pais, pela família, pela mídia, pelos livros, pelos ambientes em que vivemos e desenvolvemos nossas atividades. Mas isso não diminui a nossa responsabilidade. Cada um de nós é uma consciência pensante dotada de livre-arbítrio. Sempre temos condições de aceitar ou não as influências que chegam até nós. Ninguém implanta ideias em nossas cabeças sem a nossa permissão. Não existe espírito encarnado ou desencarnado com poder de nos ditar o que pensar, o que falar e o que fazer. Para isso é indispensável o nosso consentimento.

A compreensão do livre-arbítrio nos dá a dimensão real da consciência do que fazemos. Podemos enganar as pessoas, podemos burlar as leis, podemos mentir, enganar, disfarçar, lesar muitas pessoas sem que ninguém perceba. Mas nós sabemos. Nossa consciência está acompanhando tudo. Nossa consciência é a partícula de Deus que nos cabe. E não há como enganar a Deus.

Antes de você reencarnar, você provavelmente tomou resoluções e participou do planejamento das características principais da sua vida atual. Mas isso não quer dizer, de maneira alguma, que tudo esteja escrito em sua vida. Você planejou aspectos importantes como o seu lar, o seu ambiente, as condições em que se deram os seus primeiros anos, algumas questões relacionadas ao corpo físico. Mas você tem pleno poder de modificar o rumo da sua vida, para melhor ou para pior.

O seu livre-arbítrio é o seu poder de escolha. É a sua capacidade de ser o comandante de sua própria existência. Você manda. Você decide. Cada decisão sua produz uma consequência. Sempre. E você tem que arcar com as consequências dos seus atos.

Relacionamentos Cármicos

almagemea

Todos nós experimentamos, em algum momento de nossas vidas, relacionamentos com pessoas que conhecemos em outras vidas e com as quais experimentamos emoções intensas, um em relação ao outro.

A característica de um relacionamento cármico é que os parceiros carregam emoções não resolvidas dentro de si, tais como culpa, medo, dependência, ciúme, raiva ou algo do tipo. Devido a essa “carga” de emoções não resolvidas, eles se sentem atraídos um para o outro, em outra encarnação.

O objetivo do reencontro é proporcionar uma oportunidade para se resolver o problema em questão. Isto acontece recriando-se o mesmo problema em um curto espaço de tempo.

Quando os parceiros se conhecem, logo sentem uma compulsão de estar mais perto um do outro, e depois de algum tempo, começam a repetir os padrões emocionais dos seus antigos papéis. Então, o palco está armado para que ambos enfrentem um antigo problema de novo, e TALVEZ lidem com ele de uma forma mais amadurecida e iluminada.

O propósito espiritual do reencontro, para ambos os parceiros, é que possam fazer escolhas diferentes das que fizeram naquela vida passada.
Continuar lendo

Os Espíritos não estão indefinidamente presos a um mundo


A encarnação nos diferentes mundos obedece a um critério de progresso moral. Quando, em determinado planeta, os Espíritos hão realizado a soma de progresso que o estado desse planeta comporta, eles o deixam para encarnar em outro mais adiantado, onde poderão adquirir novos conhecimentos.

Os Espíritos que encarnam em um mundo não se acham, portanto, presos a ele indefinidamente. Cada mundo é para eles o que escola representa para a criança, que muda de classe à medida que progride nos seus estudos.

Os Espíritos elevados são destinados a reencarnar em planetas mais bem dotados que o nosso. A escala grandiosa dos mundos apresenta inúmeros graus, dispostos para a ascensão progressiva dos Espíritos, que os devem transpor cada um por sua vez.
Continuar lendo

O processo de reencarnação: a gravidez e a ligação do espírito à nova vida material

Diante destes questionamentos decidi escrever primeiro sobre o processo de reencarnação: a gravidez e a ligação do espírito à nova vida material.Logicamente que deste tema teremos como base a compreensão que a Umbanda é uma religião espiritualista e assim acredita na vida após a morte, na sobrevivência do espírito após a morte carnal, e na existência do ciclo das reencarnações, ou seja, acreditamos na existência de múltiplos nascimentos e desencarnes.
Para a Umbanda a encarnação, e assim a reencarnação, é a oportunidade sagrada e abençoada de um espírito esquecer seu passado delituoso, seus inimigos, suas desavenças, e de encontrar situações semelhantes às vividas no passado com outra roupagem, uma segunda (terceira, quarta, etc.) chance. Enfim, um método divino de crescimento e iluminação espiritual.
A reencarnação, portanto, é a porta para a nossa remissão, é um dos momentos em que nosso trabalho espiritual se depara com situações semelhantes, que um dia falhamos, para que nossos espíritos aprendam a arte do amor, do perdão, do desapego e da solidariedade, ao mesmo tempo em que aprende a não ser egoísta, orgulhoso, etc.
Diante disto, fica claro que, para nós, a reencarnação é uma oportunidade muito importante para a nossa evolução espiritual, um dos grandes instrumentos para o burilamento espiritual e um caminho intensivo de libertação.
A porta de entrada desta oportunidade é a gravidez. Ou seja, quando em situações normais um homem e uma mulher realizam um ato sexual e o espermatozóide consegue fertilizar o óvulo. Ou, em situações laboratoriais, um cientista introduz um espermatozóide em um óvulo, e depois insere o embrião dentro do útero feminino.
Continuar lendo