Um Zé…

ze pilintra

Zé Pelintra, quem seria esta entidade???

Um Malandro?

Um Exu?

Um Mestre da Jurema?

Um Baiano?

Vamos encontrar varias versões e todas elas de certa forma corretas, digo isto por que entendo que esta entidade circula entre linhas, podendo atuar onde a casa determine ou necessite.

Ao contrario do que muitos pensam e pregam, não encarna e figura do “malandro carioca”, na verdade esta entidade trás em sua forma de atuação a essência do povo brasileiro, trabalhador, sofrido, com uma fé muito grande e sempre alegre.

É uma falange de entidades que conhece os atalhos dentro da espiritualidade, mandingueiro por natureza, não necessita de muita coisa para realizar seus trabalhos, muitas vezes resolvendo tudo no “papo”.

Extremamente sincero, e muito amigo de seus amigos, exigente com seus “aparelhos”, mas esta exigência não se reflete em questões materiais (roupas, bebidas, etc), é exigente no que diz respeito a responsabilidade do médium para com seu trabalho.

Infelizmente muitos “umbandistas”, criaram e costumam alimentar mitos e idéias erradas a respeito desta entidade, utilizando seu nome e sua figura para cobrar trabalhos, colocar medo em incautos, etc.

Gostaria muito de ver algumas destas pessoas na hora do “acerto de contas”, frente a frente com seu Zé, confesso que seria muito divertido.

Enfim é assim que eu vejo seu “Zé Pelintra”, nem melhor nem pior que ninguém, apenas um espírito em busca de evolução, assim como vários outros “Zes”, “Antonios”, “Joãos”, etc.

Autor: Marco Boeing