Zelar pelo seu Orixá no Templo Sagrado


No congá de Templo Sagrado de Umbanda estão assentados todos os Orixás, e seus Axés firmados como portais, iguais aos pontos de força da natureza, irradiando suas essências, através dos elementos consagrados e imantados do Poder dos Orixás. Temos imagens, pedras, água de lagoa, mar, cachoeira, chuva, fonte, rio, ferramentas, fitas, sementes, conchas, ervas, terras, areia de pedra e etc.
Então podemos concluir que os Orixás dos filhos da casa também manipulam os Axés assentados no terreiro, e os Guias Espirituais da direita e da esquerda também, formando uma egrégora e uma corrente contínua de energias no espaço religioso instalado no plano físico.
Essas irradiações vêm dos tronos de Pai Olorum desce através da irradiação vertical, fixa-se no Congá e nos assentamentos, expande-se horizontalmente e suas essências atingem a todos e fluem em todas as direções.
Os assentamentos de forças são absorvedores e irradiadores de energias, é por isso que precisam ser cuidados, trocados e limpos toda semana.
Sem que haja a abertura dos trabalhos e sem que os filhos incorporem seus Orixás e guias Espirituais, essas energias magnéticas estão instalados pelos Orixás e Guias de todos os filhos, todos os dias, ou vocês imaginam que no Terreiro só tem atendimento no plano físico? No plano astral existe uma cópia fiel do terreiro onde todos os Orixás e Guias se utilizam dessas essências para tratarem dos espirito que necessitam de auxilio. Então, o terreiro não para suas atividades, mesmo que suas portas físicas estejam fechadas.

Hoje a grande maioria está localizada em centros urbanos, para facilitar o acesso a todos. Esses terreiros da “cidade” precisam ser cuidados mais atentamente, pois, poucos terreiros estão localizados na natureza como sítios, chácaras, praias, cachoeiras e etc, que neste caso tem maior contato com a natureza.
As velas utilizadas no assentamentos serão de sete dias, tanto no Congá como na Tronqueira, trocando flores, lavando quartinhas, bebidas e etc. Referindo-me ao lado físico do terreiro, há a limpeza do chão, janelas, portas, banheiros, armários, comprar velas, flores, pembas, toalhas, papel higiênico, descartáveis, produtos de limpeza, manutenção da parte elétrica, reformas, pinturas, contábil, administração, calendário e preparações para as consagrações e festas, etc.
Porque será que a grande maioria dos médiuns, filhos do terreiro, simplesmente ignoram que o grupo é responsável?
O terreiro é igual a sua casa, se você não limpá-la, ela ficará suja. Se não tem tempo, precisa organizar-se, se não tem condições financeiras para contratar alguém para fazer a faxina, então só resta você mesmo executar as tarefas, pois é sua casa e ponto final.
A ignorancia e o descaso chegam ao ponto do dirigente ter que pedir uma, duas, três, todos os dias as mesmas coisas para os médiuns, que acreditam que por pagarem suas mensalidades, já pagaram a sua cota de Axé.
Essas atitudes mesquinhas de alguns médiuns, dia após dia, desgastam qualquer direigente que também é um ser humano, mas alguns filhos imaginam que seu Pai ou Mãe Espiritual se multiplica e depois perguntam por que suas vidas não evoluem? Será que os Orixás e os Guias da coroa dos filhos não vêem essas atitudes, que não zelam por seu terreiro? Talvez o dia em que esses médiuns acordarem pode ser tarde demais.

Mônica Berezutchi
Jornal da Umbanda Sagrada – Fevereiro 2012